Heráldica

O QUE É A HERÁLDICA?

Como definição resumida, a Heráldica é uma ciência auxiliar da História que estuda, descreve e define os Brasões de Armas, Escudos ou Cota de Armas, constituindo-se estes por emblemas com características e regras próprias, coloridos ou a preto e branco, referentes a uma pessoa, instituição ou comunidade.

O Rei d’Armas, ou Arauto Real, era um funcionário da corte, responsável pelo registro e compilação dos brasões. Era também ele que estudava e desenvolvia os novos brasões, sendo o responsável máximo pela observância e cumprimento das leis heráldicas.

Rei de Armas inglês representado numa capitular de uma carta de armas (1556)

Rei de Armas inglês representado numa capitular de uma carta de armas (1556)

 

ORIGENS DA HERÁLDICA

A heráldica, cujas origens remontam ao longínquo século XII, surgiu no ocidente europeu ligada à guerra e ao desenvolvimento do equipamento militar. Mas foi sobretudo com a realização dos torneios, justas e festivais que ela teve um grande impulso, tendo sido largamente difundida pela Europa. Para se distinguirem e serem reconhecidos, quer em batalhas ou em torneios, os cavaleiros medievais começaram a ostentar no seu equipamento, em particular nos escudos, um sistema de identificação original composto por desenhos e figuras de cores garridas. Não nos podemos esquecer que nessa época os elmos e capacetes cobriam quase na totalidade a cara do guerreiro, tornando virtualmente impossível a sua identificação no campo de batalha. Inicialmente estas figuras eram simples e estilizadas, de modo a que o seu portador pudesse ser facilmente reconhecido. Os desenhos podiam conter figuras geométricas, representar animais ou ser de inspiração vegetalista. Com o tempo estes símbolos foram-se tornando mais elaborados e transitaram para as gerações seguintes, passando a representar não apenas a família ou linhagem daquele que o ostentava, mas também o estatuto da nova classe social em ascensão: os cavaleiros.

batalha

Cena representando uma batalha medieval

Torneio medieval com os cavaleiros ostentando profusas representações heráldicas nas suas vestes, escudos e gualdrapas dos cavalos

Apesar de haver várias teorias sobre as origens da Heráldica, umas mais fantasiosas do que outras, actualmente os estudiosos concordam que o seu aparecimento está relacionado com a transformação da sociedade feudal após o Ano Mil, assim como com a evolução do equipamento militar, entre o fim do século XI e as primeiras décadas do século XII.

A Heráldica, considerada uma ciência auxiliar da História, pode ser classificada em várias categorias: Familiar, de Domínio (cidades, vilas, freguesias), Eclesiástica, Militar e Corporativa.

 

Gravura colorida assinalando algumas regras da Heráldica, publicada na enciclopédia de Diderot em 1778

Gravura colorida publicada na enciclopédia de Diderot, em 1778, representando diferentes
formatos e partições do escudo, esmaltes e forros heráldicos

LEIS FUNDAMENTAIS DA HERÁLDICA

A Arte de Brasonar deve respeitar seis leis heráldicas, que constituem os seus princípios fundamentais:

1ª Lei

Ao brasonar, não se deve sobrepor metal sobre metal, cor sobre cor ou forro sobre forro.

2ª Lei

As peças honrosas devem ser colocadas nos lugares que lhes competem.

3ª Lei

As figuras naturais ou quiméricas, quando sozinhas, devem ocupar o centro do campo sem tocar em seus bordos.

4ª Lei

Muitas peças móveis, ou figuras, pousadas sobre o mesmo campo tem sempre o mesmo esmalte,
desde que sejam elas repetidas sem alterações.

5ª Lei

Não há tonalidades diferentes de uma mesma cor.

6ª Lei

Um brasão deve ser regular, simples e completo.